Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

32º Grande Prémio de Atletismo e Milha Urbana do Bairro do Pinheiro

18.10.16 | Rui Alves




O CDCSS do Pinheiro organizou no dia 15 de Outubro o 32º Grande Prémio enquadrado nas comemorações do 30º aniversário da instituição. Numa cidade onde a prática do atletismo numa vertente mais amadora tem vindo a evoluir de uma forma consistente tal como no resto do pais, a existência deste tipo de provas é uma mais valia para os praticantes da corrida e uma oportunidade para o desenvolvimento  da modalidade. Nesta perspectiva realçar que o CDCSS do Pinheiro voltou a apostar numa secção de atletismo coordenada pelo Bruno Santos, um praticante e conhecedor do "running" e provas de estrada e também eterno inconformado por na cidade da Guarda não haver um clube de atletismo.





Esta prova contou com a presença de 113 atletas em representação de 15 clubes (Federados e não federados) que participaram nas provas de MILHA URBANA para os mais Jovens e Juniores Femininos. E os Juniores, Seniores e Veteranos Masculinos bem como os Seniores e Veteranos Femininos poderiam optar pelo tradicional GRANDE PRÉMIO (com 9700m) ou pela MILHA URBANA.


A MILHA URBANA decorreu num circuito em asfalto, fechado, traçado nas ruas do Bairro do Pinheiro e o grande prémio (9700m) foi num circuito misto nas nas ruas do Bairro do Pinheiro e Parque Urbano do Rio Diz. Uma prova difícil com um desnível considerável que pôs a prova os atletas.

Destaque para a vitória no GP do atleta Luís Pereira do Clube de Atletismo do Tâmega,   e para a Patrícia Rosado da Associação Cultural  Desp. Rec. Arneirense. 
Em termos colectivos o Centro de Atletismos de Seia venceu a Milha urbana e o CDC do Pinheiro conseguiu o primeiro posto neste regresso à competição. 

Aqui o "velhote" na primeira prova que fez depois de subir de escalão conseguiu um meritório primeiro lugar na categoria de MASTERS II (M40 até M49), mas ficou com um amargo de boca. Não por estar mais velho, nem pela prestação, mas sim por não ter tido oportunidade de ter ficado para degustar o "porco no espeto". 
Para o ano fica a promessa de fazer também a segunda parte.





Ovar 2016 - Detalhes de uma prova que quero recordar e voltar

06.10.16 | Rui Alves

Dia 02 de Outubro, um dia agradável para fazer uma Meia Maratona, temperatura amena pouco nublado, o pequeno almoço às 07.00 foi ligeiro mas energético (pão com mel, sumo, banana e uma barra de cereais). A viagem até Ovar foi, tal como previsto, rápida desde Amarante. A ansiedade é alta e a minha mente já só revia os dígitos previamente estudados: 21, 42, 61 ou 63 e 84. 
Às 09.00 estava no Salão Paroquial de Ovar. 
A primeira dificuldade, tal como no ano anterior, foi o levantamento do dorsal. Há sempre muita gente a fazê-lo no próprio dia e tem que se ter uma boa dose de paciência para se lidar com certas impaciências. Louvo o esforço e espírito de ajuda de todos os membros da organização para resolver todos os problemas. 
Estacionei o carro, preparei dorsal e o chip, e já são 09.45.... Já só deu tempo de fazer o aquecimento com uma corrida lenta até à partida.
Tal como já previ a partida foi bem no final do pelotão de 1950 corredores. Era o pior lugar possível para o objectivo mas como pensamento positivo lembrei-me que não estive que estar à "seca" para ter um bom lugar de partida. Foi um instante que se passou até ao arranque da prova.
Tiro de partida e cronómetro a funcionar, (pensei em só o ligar na linha de partida, mas decidi fazê-lo antes porque sabia que íamos ter referência aos tempo de prova ao longo do percurso). Os números foram revistos, 21, 42, 61 ou 63 e 84...
Quilometro 1 - (5'10'') Pronto lá se foi um minuto a andar a passo, subir passeios, correr em "ziguezague"...... De onde raio é que saiu tanta gente?
Quilometro 2 - (4'01'') O declive ajudou toda a gente a manter um ritmo bom e já é mais fácil ir passando pelos mais lentos. A ligeira subida ajuda a marcar diferença de ritmos mais lentos e apesar do piso empedrado e algumas ruas estreitas não ajudarem consigo passar sem perder muitos segundos. ("21" é a primeira meta e já sei de antemão que não chego a tempo).
Quilometro 3 e 4 - (3'52'') Agora sim, dá para escolher boas trajectórias, estar focado no ritmo, e se o próximo for assim ainda se recupera algo.
Quilometro 5 - (3'47'') O declive deu para ganhar mais uns segundos sem aumentar o esforço. Estava perto da primeira meta (21' para 5250m) e passando aqui com 20'43 significava que estava com 40 segundos de atraso. Se conseguir manter o ritmo nesta fase de subida pode não dar para 84, mas deve dar para abaixo de 85...e portanto siga. Um pouco de água e uma esponja para refrescar no próximo km.
Quilometro 6 - (3'59'') Nada a fazer, a subir nem os santos ajudam...
Quilometro 7 - (3'49'') Boa, mais uma ajuda do declive...
Quilometro 8 - (3'59'') Pois... não desce sempre, mas espera lá, ainda assim ganhei um segundo.... vamos lá... 
Quilometro 9 - (3'45'') Estou a "rolar" abaixo dos 3'40'' e sei que a dificuldade é a próxima subida, depois é fazer a máquina entrar em piloto automático. A próxima etapa está já ali...
Quilometro 10 - (3'54'') Subida? Qual subida? Estás bem... força... já passou e a mais difícil foi ainda mais rápida que as outras... 
42 é a marca que tinha que passar aos 10.5km, e estou com 42'25'', está perto, mas 2 segundos por km é tanto e tão pouco... Só que não te esqueças que tens 300m extra a fazer que são quase 1 minuto, portanto "cota" estás na verdade a 1'25 do teu objectivo.... mexe-te caramba!!!
Quilometro 11 - (3'47'') Estás na parte descendente até ao furadouro... respira... Olha ali família, vais ficar na foto... sorri.... Obrigado filha, obrigado esposa... 
Quilometro 12 - (3'49'') Estás bem...força...
Quilometro 13 - (3'53'') Olha o mar... aproveita... a seguir é sempre a subir... ligeiramente mas a subir... tanta gente... caramba que bonito... se a prova fosse toda assim nem se dava conta... 
Quilometro 14 - (3'58'') pois... agora é aguentar e sofrer um pouco... 
Quilometro 15 - (3'57'') Tens ali um escudo, cola-te a ele... se não se importar vai ser a tua ajuda, e parece que corre para 1.24.00... não o deixes e segue perto.
63 era a meta para passar aos 15.750.... mas aqueles metros fazem-te ter 30 segundos de atraso...
Quilometro 16 - (3'53'') Ele está a andar bem e tu segues... Se não fossem aqueles 300m estarias bem abaixo do objectivo... mas não serve de nada lamentar... segue-o.
Quilometro 17 - (3'51'') Boa... Já só faltam 4km e pouco....
Quilometro 18 - (3'58'') O cansaço já se nota... mas não desistas... vai....
Quilometro 19 - (3'54'') Vamos tentar um ultimo puxão... e deixar a boleia... Obrigado amigo de Ovar....
Quilometro 20 - (3'50'') Estás cansado... Mas é já ali... o teu "amigo" aproveitou a tua boleia.... Também merece....
Quilometro 21 - (3'53'') Os 97m finais são na verdade 400, mas como diz o amigo Bruno é hora de "meter a faca nos dentes" e dar tudo... O "amigo de Ovar" é mais forte que tu e passa bem rápido....
A meta ali a frente o cronómetro a contar.... 1:23'58... 1.23'59... 1:24'00... 01... 02... 06 .... 
1:24:06....
Caramba.... foi por pouco.... 84 era o objectivo final... falhado por 6 segundos... 
No entanto a pequena tristeza deu lugar à alegria de ter feito uma nova marca pessoal, tirando mais de um minuto à anterior marca e por isso esta prova vai ficar para sempre na minha memória...
Uma nota de destaque à organização que mais uma vez nos proporcionou uma corrida bem organizada, com detalhes importantes, como o de divulgar marcas de passagem em pontos intermédios, as esponjas para refrescar, com a presença dos melhores atletas nacionais que são sempre referências para mim e um conjunto de presentes no final da prova que só me fez lembrar o jeito que me dava ter ter uma carrinho de supermercado por perto.


Estes foram os meus "Passos de corrida" em Ovar na minha décima Meia Maratona. 
Para o ano os números certamente serão outros... Mas a prova é para repetir.