Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

Um belo dia de Sol para estar preso antes de correr..... E uma chave de fendas para Salamanca!

20.02.17 | Rui Alves
III Meia Maratona António Pinto - Cidade de Amarante 
Terceira participação na terceira edição num dia maravilhoso e primaveril. Esta lindíssima cidade na qual tenho um enorme orgulho de chamar de terra Natal e também de apreciar a sua inesgotável beleza brindou-nos com um lindo dia.
Este ano a prova apresentou algumas alterações significativas. 
Foi trazida a partida para Santa Luzia (zona mais central de cidade), o que melhorou a dinâmica da prova com a assistência popular mais intensa.
Foi retirada a subida final antes da meta e que era do desagrado de muitos o que fez com que a aproximação a meta fosse mais entusiasmante.
Mas em contra partida o inicio ficou mais sinuoso num sobe e desce intenso nos primeiros quilómetros, que podem se tornar demasiado desgastantes para a restante prova, e a subida em Fridão ficou um pouco mais alongada sendo ligeiramente mais difícil que no anos anteriores.



No entanto penso que as alterações tornaram a prova melhor. Parabéns à organização pela melhoria que revela vontade de fazer mais e melhor e um especial agradecimento à Elisabete Ribeiro pelo carinho com que nos recebe a todos neste evento.
Uma menção muito honrosa ao campeão António Pinto que para lá de ser anfitrião da prova, fez a mesma com um excelente tempo de 1.35.00. juntando-se ao pelotão que tanto o admira e honra.

Sem referências recentes esta prova iria fazê-la por sensações, embora o desejo fosse melhor que o conseguido, a experiência tem me ensinado que o importante é chegar ao fim bem e com forças. Até porque a prova era feita com a partida na cauda do pelotão, devido a uma detenção involuntária num em WC.(Já lá vamos). 
Ao km 10 com 40,30 foi a indicação que ia mais lento que os meus melhores desejos (teria que passar em 37/38) e portanto, com a subida intensa pela frente foi importante gerir com juízo o esforço de forma a terminar bem. 
Passar ao km 15 com 1.02.20 já em plena descida permitiu-me conhecer melhor e partilhar histórias de corrida com o Eduardo Sousa do Carcavelos/Sinergye. Um veterano M55, grande atleta que uma semana depois da MM de Braga faz outra meia maratona e foi minha companhia em mais de uma dezena de quilómetros, e só me deixou no final porque de facto estava ainda cheio de força. Eduardo, você é TOP!


Os último 6 quilómetros foram a ritmo de 4.07 o que não sendo nada de bom mostra bem o cansaço que as pernas já sentiam. 

Então e começar na cauda do pelotão? É moda? (Já em Ovar foi assim)
Bom aqui a expressão "Não tenho sorte nenhuma..." que às vezes repito... aconteceu... 
Uns 20, 25 minutos antes da partida deu a vontade de aliviar aquela pinga que se não o fizermos, nos vai arreliar a prova toda ou então nos obrigar a parar. 
Conhecendo o centro comercial ao lado da partida fui ao WC, um WC protegido com um gradeamento exterior com a porta aberta que pensei que gentilmente estaria aberta para as necessidades dos atletas. Mas quando sai, apercebi-me que a porta se tinha fechado e que a mesma só poderia ser aberta com chave. Felizmente ao fim de uns minutos lá apareceu um senhor que amavelmente se prontificou a chamar alto e bom som pelos microfones da partida alguém que pudesse abrir a maldita porta. 
Eu só escutava alto e bom som... "Precisa-se que se vá abrir a porta da casa de banho!" e "Há um atleta da Guarda preso na casa de banho!"
Uns 2 minutos antes da partida dois senhores fotógrafos, lá me abriram a porta, mas não sem antes muito carinhosamente me pedirem umas fotos atrás da grades para mais tarde recordar. 

Agradeço também a dica simpática dum deles, que me confidenciou que a porta se podia abrir forçando com uma chave de fendas.... Caramba, como não me lembrei disso....

Agora é só pensar em Salamanca que é já em 5 de Março com duas coisas fundamentais no pensamento:
1- Terminar a prova bem, com força, e com um sorriso de dever cumprido fazendo mais e melhor.

 2- Levar a chave de fendas....
  

Pace+ - Uma aplicação completa?

15.02.17 | Rui Alves
A menos de uma semana da Meia Maratona de Amarante é tempo de afinar estratégia para a corrida.
E por vezes é útil ter uma ferramenta que possa servir de apoio para esses propósitos. Neste sentido apresento-vos o Pace+, uma aplicação android que pode ser vantajosa na definição da estratégia de uma prova, mas também para ajudar nos treinos com outras informações práticas.

Permite calcular um valor de Tempo, Velocidade, Ritmo de corrida em tempo tendo por base a distância a percorrer. Pode-se usar o sistema Riegel's de previsão de tempo de prova tendo por base um treino com os valores de tempo e distância.


O factor que me levou a gostar muito desta aplicação é o facto de permitir definir a estratégia de uma prova tendo por base o facto de se fazer a mesma em ritmo Neutro, Positivo ou Negativo:



Como informações indicativas, pode-se consultar os ritmos, informações básicas de ritmos cardiacos, Calorias, Indice de massa corporal (IMC ou BMI), tabela de teste cooper ou mesmo várias formas de apertar as sapatilhas tendo em conta vários problemas. 




E vocês? Usam alguma aplicação?






Janeiro dos Exercícios até ao convívio

05.02.17 | Rui Alves
Fim do mês de Janeiro de e como quase sempre acontece no inicio do anos , foi época debalanço e altura para formular novas metas, novos objectivos, novos projectos ou entãosimplesmente reprogramar e tentar alcançar um objectivo que não se fez.
O ano de 2016 foi um ano positivo em resultados pessoaisalcançados, mas também (e talvez para mim mais importante) em riqueza deexperiências vividas neste mundo das corridas, ou como muito na moda se diz… running.
Nunca vou esquecer a prova que fiz em Ovar onde fiz o meu RPna MM.
Mas recordo mais intensamente a magnífica paisagem no alto do Sameiro,minutos antes de me ter esfolado todo a descer na companhia do grande campeão eamigo Paulo Gomes. Recordo a paisagem fantástica de neve que fomos brindados naprova de Manteigas Penhas Douradas, onde o Paulo foi também lá foi vencedor… Aspaisagens magnificas e milhares de pessoas no Douro, o banho intenso na MM de Belmonte,mas muito recompensado com um óptimo repasto na companhia dos Campeões ClarisseCruz e FrancisObikwelu, o sobe e desce na MM de Vila Real, a óptima Paella de Cidade Rodrigo, e até o momento exactoem que senti a dor na coxa que me fez parar umas semanas….
Estar parado e procurar ajuda no tratamento dalesão foi e tem sido também uma experiência a recordar. O enorme gosto de ter conhecido o David Rodrigues da D2J que tem sido excepcional comigo e família no tratamento da lesão e outras mazelas. O conhecimento pela pratica desportiva faz com que tenha um "know how" diferente de outros que conheci. O aconselhamento em exercícios de recuperação e tomar consciência que o fortalecimento muscular talvez seja tão ou mais importante que qualquer numero de km's acumulados em qualquer semana de treino, tem sido muito importante. Complementar a corrida com exercícios musculares de fortalecimento ou flexibilidade é de muita importância e serve de prevenção de lesões. Para além dos recomendados pelo David, passei a fazer 2 vezes por semana os seguinte que foram recomendados por um amigo de rede social Noirvegan: 

As sensações têm sido boas e recomendo.

Janeiro foi o mês de progressão após a lesão, uma progressão que deveria ter sido mais lenta que a que realizei, mas a vontade de estar minimamente bem em Amarante fez-me arriscar um pouco. No entanto sou um defensor que a progressão semanal e o aumento de carne de treino não deve aumentar mais que 10 a 15%, ou seja na semana 3 quando fiz 41km, nunca poderia ter passado para 65km na semana seguinte. Claro, que já dizia o outro... "Olha para o que eu digo e não para o que eu faço."  


Fevereiro tem na agenda a MM de Amarante - António Pinto, uma prova que homenageia o grande campeão que foi António Pinto que ainda detém 3 recordes nacionais nos 5000 (13.02,86) 10000 (27.12,47) e maratona com 2.06,36. 
Este ano já tem a presença confirmada da Dulce Félix como madrinha da prova. 
Uma oportunidade programada de regressar ás origens, rever amigos e acima de tudo como diz a minha amiga Elisabete... de "combíbio". Avizinham-se bons "Passos de Corrida"