Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

Passos de corrida

Um blog escrito para partilhar a todos os corredores as minhas experiências. Meu nome é Rui Alves e moro na Guarda, Portugal, onde desfruto do que considero ser um bom aliado dos treinos - altitude. Sou um Guarda Runner!

49 dias sem treinar - uma calamidade

07.05.20 | Rui Alves

tired-runner.jpgQuarenta e nove dias foi o tempo que estive sem treinar corrida. O possível anúncio do estado de emergência e a dúvida de como melhor agir perante esta pandemia, fez com que tomasse a decisão de me manter o mais possível em casa abdicando de correr.

Decisão mais ou menos correta, mais ou menos lógica, tratou-se de uma decisão pessoal. Assim como o facto de ter decidido agora voltar é decisão pessoal e ponderada. Certamente haverá posições a favor e contra, mas também o houve na decisão anterior, como tal só há que aceitar e respeitar as opiniões e críticas.

Não é isso que me motiva a escrever hoje, mas sim falar de como os 49 dias sem correr influenciaram a minha forma física negativamente.

No dia de retomar os treinos (02/05/2020) fiz o seguinte treino de corrida: - 12km a ritmo de 5min/km +/- para soltar as pernas. Se nos primeiros 4kms tudo parecia ir bem (salvo a sensação de parecer não saber correr), a partir do 5º foi ver a pulsação a subir atingindo valores de 185 batimentos por minuto!!!

screenshot-flow.polar.com-2020.05.05-23_02_49 02_0

 

Nem nos treinos de séries ou de tempo eu alguma vez atingi esses valores. E se tal facto é estranho mais interessante é se comparar com o último treino que tinha feito (13/03/2020),em que 14km ao mesmo ritmo, o máximo que atingi foi 140bpm.

screenshot-flow.polar.com-2020.05.05-23_04_32 13_0

 

A altimetria e o ritmo entre os dois treinos são idênticos, e a distância e ritmos do treino de 13 de março são superiores.

screenshot-www.strava.com-2020.05.05-22_57_32 02_0

screenshot-www.strava.com-2020.05.05-22_56_37_13_0

Então nestes dias o que mudou?

Na minha opinião as principais razões são:

  • A mobilidade tornou-se muito mais reduzida apesar de ter mantido exercícios contantes em casa
  • Aumento de peso corporal, inevitável com o número de horas tão perto da cozinha
  • Quebra do hábito regular de correr, ou seja inaptidão ao movimento natural de correr

 

A forma como me sentia (e sinto) era indicador de como iria ser este regresso á corrida. Pesado, mais lento, mais sem vontade e se calhar mais triste.

Só para haver mais um termo de comparação, o indicador de Index da Polar aponta que se mantiver a forma atual a minha próxima Maratona venha a ser feita com mais 50 minutos que a última previsão feita pela aplicação.

screenshot-flow.polar.com-2020.05.05-23_09_42 Inde

 

A quebra de performance de corrida é abissal. Desta forma e como “vai tudo ficar bem”, preciso de retomar o hábito de treino em particular a corrida.

Há que manter e cumprir todas as regras definidas em relação á pandemia Covid-19 e ter o máximo de cuidado.

Mas como um futebolista precisa de tocar a bola, um surfista precisa das ondas ou um bailarino precisa dançar, eu que não tenho jeito para nada disto preciso é de correr. Não é que tenha habilidade para a corrida, mas se treinar talvez disfarce um pouco...

Para isso são precisos uns Passos de Corrida por aí...